top of page
  • Pedro Magrin Tannús

Transtorno de Personalidade Borderline

Marcio P. Gathnus


Desde muito jovem, sempre me senti como se estivesse navegando em um mar tempestuoso, lutando contra as ondas que ameaçavam me engolir a qualquer momento. Batalhocom transtorno borderline, e cada dia é uma batalha contra as emoções intensas e as crises que parecem nunca ter fim.


A depressão é como uma sombra que me persegue constantemente, envolvendo-me em um manto de escuridão e desesperança. Há dias em que mal consigo levantar da cama, dominado por uma tristeza avassaladora que parece sugar toda a energia que há em mim. Sinto-me como um náufrago perdido em um mar de solidão, sem esperança de ser resgatado.


A ansiedade é outra companheira constante, como um zumbido irritante em meus ouvidos que nunca desaparece. Estou sempre à beira do precipício, temendo o momento em que a próxima crise irá me atingir. Cada pequena interação social é uma fonte de terror, pois nunca sei quando serei abandonado ou rejeitado.


E então há os momentos de despersonalização e desrealização, quando me sinto desconectado do mundo ao meu redor, como se estivesse observando minha vida de fora do meu próprio corpo. É uma sensação assustadora e perturbadora, que só aumenta minha sensação de isolamento e alienação.



Nos relacionamentos, sou um paradoxo ambulante. Por um lado, desejo desesperadamente conexão e intimidade, ansiando por encontrar alguém que possa me compreender e me aceitar incondicionalmente. Mas, por outro lado, tenho medo de ser abandonado, de ser deixado para trás como um brinquedo quebrado. Essa ambivalência me consome, e muitas vezes acabo sabotando meus relacionamentos antes mesmo que eles tenham a chance de se desenvolver.


A impulsividade é outra batalha que enfrento diariamente. Tomo decisões precipitadas, muitas vezes sem pensar nas consequências, buscando desesperadamente alívio para o vazio que sinto dentro de mim. Gasto dinheiro impulsivamente, me envolvo em relacionamentos tumultuados, coloco minha própria segurança em risco. É como se estivesse constantemente correndo em círculos, sem nunca encontrar uma saída.


Mas, apesar de todas essas lutas, ainda guardo uma centelha de esperança dentro de mim. Busco ajuda profissional, participo de terapias, procuro entender melhor o meu transtorno e aprender a lidar com ele da melhor forma possível. Sei que a estrada será longa e tortuosa, mas estou determinado a enfrentar os desafios e encontrar a paz que tanto almejo.


Apesar das lutas diárias, mantenho viva uma chama de esperança dentro de mim. Busco ajuda profissional e me envolvo em terapias que me ajudam a compreender melhor o meu transtorno e a desenvolver estratégias para lidar com ele. Gradualmente, estou aprendendo a reconhecer e a enfrentar meus padrões de pensamento disfuncionais, deixando de lado comportamentos impulsivos e prejudiciais.



À medida que me empenho nesse processo de autoconhecimento e autodesenvolvimento, percebo mudanças positivas em minha vida. Estou cultivando relacionamentos mais saudáveis, aprendendo a me comunicar de forma mais eficaz e construindo uma rede de apoio sólida ao meu redor. Aos poucos, o véu da depressão e da ansiedade vai se dissipando, revelando um eu mais autêntico e resiliente.


Embora saiba que a jornada ainda será desafiadora, estou determinado a seguir em frente. A cada passo que dou em direção à cura, sinto-me mais forte e confiante. Sei que, com perseverança e apoio, posso superar os obstáculos que o transtorno borderline coloca em meu caminho e construir uma vida plena e significativa.

* O relato apresentado acima foi criado de forma fictícia com base em informações reais disponíveis sobre o Transtorno de Personalidade Borderline, comumente chamado de Transtorno Borderline ou Transtorno Limítrofe. Ele não se baseia em nenhuma experiência pessoal específica e não viola o sigilo profissional entre paciente e profissional. Entenda mais no artigo abaixo.


Transtorno de Personalidade Borderline - Características e Tratamento


O transtorno de personalidade borderline (TPB), também conhecido como transtorno de personalidade limítrofe, é uma condição mental complexa que afeta a maneira como uma pessoa pensa, sente e se relaciona com os outros. Neste artigo, vamos explorar as características, causas e opções de tratamento para o TPB.


Descrição e Sintomas


O TPB é caracterizado por uma instabilidade emocional intensa, padrões de relacionamento instáveis ​​e uma imagem de si mesma distorcida. Os sintomas comuns incluem:


  • Medo intenso de abandono

  • Relacionamentos instáveis, alternando entre idealização e depreciação do outro

  • Mudanças rápidas de humor

  • Sensação de desrealização e despersonalização (sensação desagradável de ser espectador da própria vidavida)

  • Comportamento impulsivo, como gastos excessivos, abuso de substâncias ou comportamento sexual de risco

  • Sentimentos crônicos de vazio

  • Sentimentos de solidão

  • Raiva incontrolável

  • Ideação suicida ou comportamentos autolesivos

Esses sintomas podem levar a dificuldades significativas no trabalho, relacionamentos interpessoais e funcionamento geral.


Causas e Fatores de Risco


As causas exatas do TPB não são completamente compreendidas, mas acredita-se que uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos desempenhem um papel. Alguns fatores de risco incluem:

  • Histórico de trauma ou abuso na infância

  • Disfunção familiar

  • Predisposição genética a distúrbios emocionais

  • Experiências traumáticas na vida adulta

  • Problemas de regulação emocional

Benefícios da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) no Tratamento do TPB


A TCC é frequentemente recomendada como uma opção de tratamento eficaz para o TPB. Alguns benefícios da TCC no tratamento do TPB incluem:


  • Identificação e modificação de pensamentos disfuncionais

  • Desenvolvimento de habilidades de regulação emocional

  • Melhoria nas habilidades de resolução de problemas

  • Aumento da consciência dos padrões de comportamento disfuncionais

  • Fortalecimento das habilidades de comunicação interpessoal

  • Adesão em tratamentos medicamentosos

Conclusão


O transtorno de personalidade borderline é uma condição desafiadora que pode afetar significativamente a vida diária de uma pessoa. No entanto, com o tratamento adequado, incluindo terapia cognitivo-comportamental e em casos mais específicos, acompanhamento psiquiátrico, os indivíduos podem aprender a gerenciar seus sintomas e levar uma vida mais gratificante e equilibrada.

Se você ou alguém que você conhece está lutando com sintomas de TPB, é importante procurar ajuda profissional de um psicoterapeuta qualificado. A terapia cognitivo-comportamental pode oferecer suporte e orientação necessários para enfrentar os desafios associados ao TPB e promover um maior bem-estar emocional e mental.


Leia Mais:


  • Linehan, M. M. (1993). Cognitive-behavioral treatment of borderline personality disorder. New York: Guilford Press.

  • American Psychiatric Association. (2013). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (5th ed.). Washington, DC: Author.

  • National Institute of Mental Health. (2021). Borderline Personality Disorder. Retrieved from https://www.nimh.nih.gov/health/topics/borderline-personality-disorder/index.shtml.

69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Logo do WhatsApp
bottom of page