2.

Ansiedade: sintomas físicos, psicológicos e tratamento

Quais os sintomas mais comuns?

Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Dificuldade de respirar; (sintoma físico)

  • Sensação de sufocação; (sintoma físico)

  • Medo que aconteça o pior; (sintoma psicológico)

  • Batimentos cardíacos acelerados (taquicardia); (sintoma físico)

  • Tremedeiras; (sintoma físico)

  • Sensação de atordoamento ou tontura; (sintoma físico)

  • Sensações de dormência ou formigamento; (sintoma físico)

  • Medo de perder o controle; (sintoma psicológico)

  • Nervosismo; (sintoma psicológico)

  • Incapacidade de relaxar; (sintoma psicológico)

  • Suor excessivo no rosto, axilas, corpo ou mãos; (sintoma físico)

 

O que é uma crise de ansiedade?

Ao contrário do que muitos acreditam, a ansiedade é um fator necessário para nosso desenvolvimento. É ela que faz com que saiamos da nossa área de conforto para buscar aprimoramento pessoal e realização na conquista dos nossos objetivos.

Nós possuímos a razão máxima para sermos ansiosos pois sabemos que somos vulneráveis e sabemos que morreremos um dia. Não ficar ansioso sob essas circunstâncias é um grande mistério. 

Um quadro de crise ansiosa pode caracterizar-se por um estado de medo, apreensão, expectativa, mal-estar, desconforto, insegurança ou estranheza do ambiente ou de si mesmo. Também tem aquela sensação de que algo desagradável está prestes a acontecer, acompanhado de pensamentos pessimistas das piores coisas possíveis.

O que a ansiedade faz no corpo?

A ansiedade ativa o sistema mental associado com agressão defensiva e retração, ao invés de usar um sistema mental associado com a aproximação de desafios. Isso faz com que o nosso corpo gaste muitos recursos tentando resolver uma situação que muitas vezes não possui solução no presente.

Imagine se fossemos tentar solucionar imediatamente nosso contexto de vida que mudou por causa do COVID-19 sozinhos?

Se tentarmos, vamos nos desgastar, tentando resolver um problema muito maior que nós mesmos. Pense num carro que está acelerando no máximo, com o pé no freio. Ele está gastando recursos, que vai precisar mais tarde, em um momento em que esses recursos não estão sendo necessitados.

Nosso corpo se ativa como se o estressor estivesse na nossa frente. Quando lembramos do nosso cenário de vida ideal, por exemplo, pensamos nas responsabilidades que devemos retomar e queremos o controle da vida com a família e trabalho, encontros, companhias, e todas as coisas agradáveis que não podemos fazer. Isso pode nos deixar ansiosos.

 

Agora adicione o fato de termos um inimigo invisível em forma de vírus. A ansiedade diária se torna praticamente inevitável. Quando isso acontece nosso corpo se prepara para três coisas. Lutar, fugir ou congelar. E é exatamente essa preparação que faz com que a gente sinta os sintomas mais comuns da ansiedade, como citados no início deste artigo.

Como controlar a ansiedade

A tendência de hoje é procurar na internet a solução mais rápida. Nada substitui um bom acompanhamento psicológico!

 

Existem diversas ferramentas para compreender e modificar nossos pensamentos que um profissional habilitado poderá te ensinar. Se nós entendermos o que está acontecendo, seremos capazes de anteceder momentos que podem gerar ansiedade, melhorando nossa capacidade de lidar com essas dificuldades. Mas primeiro, é fundamental passar por uma avaliação psicológica para entender como estão ocorrendo os prejuízos na sua vida, e se esses prejuízos são realmente causados pela ansiedade ou por algum outro fator não percebido.

Desde as técnicas mais simples às mais avançadas, nos meus atendimentos, vejo que ACEITAR que a ansiedade pode acontecer é fundamental.

Uma estratégia para iniciar a compreender melhor o quadro de ansiedade chama-se:

A.C.A.L.M.E-S.E da DIVISÃO DE QUALIDADE DE VIDA CASS/PROGEP

 

A estratégia A.C.A.L.M.E-S.E. foi adaptada à realidade brasileira pelo psicólogo Bernard Rangé e objetiva auxiliar pacientes a lidar com sintomas de ansiedade, angústia e pânico. Cada letra da palavra ACALME-SE corresponde a um passo para chegar a um estado de menor ansiedade e alívio dos sintomas. A utilização dessa estratégia não substitui o acompanhamento por um profissional da saúde mental. Se você sofre com ansiedade e/ou crises de pânico deve iniciar um tratamento especializado.

acalmese.jpg

Quer saber mais?

 

Avançando o Processo Terapêutico

(Se está lendo isso, um apoio psicológico pode ajudar)

Com a ajuda de um terapeuta as coisas vão se simplificando, mas basicamente funciona assim:

Eu vivo --> eu Penso --> eu Sinto/reajo

Uma - situação me leva a um Pa - pensamento automático (ou vários), que me faze sentir - reações emocionais, fisiológicas e comportamentais.

O Modelo Cognitivo Completo trabalhado em processo terapêutico investiga de forma mais aprofundada como a pessoa se enxerga e se posiciona diante das situações. Fatores determinantes como Crenças Centrais (CC) e as Crenças Intermediárias (CI) também influenciam os pensamentos (Pa), e consequentemente, as reações (R(efc)).

Pode ser algo vivido, um acontecimento, uma fala de alguém. 

S

Situação

Pa

Pensamento Automático

R(efc)

Respostas

Emocionais, Fisiológicas, Comportamentais

São os pensamentos automáticos que acontecem sem aparente razão. Daí o nome de "automáticos"

São as possíveis formas que reagimos. Nas Reações Emocionais percebemos mudanças no nosso humor, nas Reações Fisiológicas, às vezes sentimos sintomas no corpo (coração acelerado, tremedeiras, aperto no peito, etc.) e as Reações Comportamentais são as formas que nos comportamos ou as coisas que fazemos.

CC

Crença Central

CI

Crença Intermediária

S

Situação

Pa

Pensamento Automático

R(efc)

Respostas

Emocionais, Fisiológicas, Comportamentais

Ainda não entendeu?

Fale com o Psicólogo Pedro Tannús que ele te explicará tudo. Marque sua consulta e inicie seus atendimentos o quanto antes.

Vídeo Relacionado

light think 3.jpeg